Você está aqui:Home » Destaque » Ministro recebe CUT e demais Centrais Sindicais

Ministro recebe CUT e demais Centrais Sindicais

Fonte: Valor Econômico
O ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, recebeu nesta terça-feira (10) os representantes das três maiores centrais sindicais do país (CUT, Força e UGT) para tratar da proposta de emenda constitucional (PEC) da reforma sindical, que está em discussão na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados.
Os sindicalistas tentaram convencer Ramos a abortar a ideia do secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, de permitir um sindicato por empresa (o modelo americano) e defenderam que o governo apoie a PEC 196, em tramitação na Câmara, que mantém o modelo atual de um sindicato por categoria em cada cidade ou região.
Ainda na terça-feira o deputado Paulinho da Força (Solidariedade-SP) tentou incluir a PEC 196 na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, mas foi alertado pelo presidente do colegiado, Felipe Francischini (PSL-PR), que isso não seria possível por ainda estar no período de vista. Paulinho deverá apresentar um requerimento extrapauta na sessão da comissão para que a PEC seja analisada pela CCJ.
Durante a sessão da comissão o deputado Marcelo Ramos (PL-AM), autor da tem nenhum compromisso com a recriação da contribuição sindical compulsória. O próprio Trad destacou que seu voto já está pronto.
Nos últimos dias, parlamentares foram alvos de ataques nas redes sociais em função da disseminação de informações de que a PEC 196 representaria a volta do imposto sindical, extinto quando da aprovação da reforma trabalhista, no governo de Michel Temer.
O presidente Jair Bolsonaro escreveu, em sua página oficial no Twitter, que a pressão para a recriação de um imposto sindical vinha do Congresso.
Autor da PEC, Marcelo Ramos comentou que, após a repercussão nas redes sociais, conversou com o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, que garantiu que o governo não patrocinará qualquer projeto que proponha o retorno do imposto sindical. Francischini, que também foi alvo de ataques nas redes sociais, garantiu que “a volta do imposto sindical nunca passará no Congresso na atual legislatura”.

Deixe um comentário

© 2013 PortuariosRio. Desenvolvido por 22Lab

Voltar para o topo